“As sociedades de advogados em Portugal atingiram uma sofisticação e qualidade ao nível do melhor que se faz no mundo”

Joana Andrade Correia, Sócia da Sociedade de Advogados Raposo Bernardo & Associados
Quem o afirma é Joana Andrade Correia. A advogada centra a sua prática nas áreas de societário, M&A, private equity e financeiro, na sociedade de advogados Raposo Bernardo & Associados. A revista Liderança no Feminino foi conhecer o seu percurso, exímio, uma personalidade distinta e uma dedicação extrema em todos os projetos em que se envolve.

A SOCIEDADE DE ADVOGADOS RAPOSO BERNARDO & ASSOCIADOS DESENVOLVE A SUA ATIVIDADE COMO FULL SERVICE. COMO É QUE ISSO SE TRADUZ EM VALOR ACRESCENTADO PARA OS VOSSOS CLIENTES?
A nossa matriz é claramente a de uma sociedade que desenvolve a sua atividade em todas as áreas do direito, proporcionando aos nossos clientes um apoio total. Com esta abrangência os clientes beneficiam do facto de conhecermos e acompanharmos todos os
seus assuntos legais, com uma visão de conjunto global. Muitos dos assuntos estão relacionados e o que vemos é que os clientes preferem que seja a mesma sociedade de advogados a tratar de todos eles. Além disso, sobre essa matriz de abrangência assenta uma forte especialização em cada uma das áreas. Desta maneira asseguramos profundidade em todas as áreas relevantes paras as empresas.

PODEMOS DIZER QUE TÊM SIDO UM BOM ALIADO NO DESENVOLVIMENTO E CRESCIMENTO DO TECIDO EMPRESARIAL?
Nós queremos acreditar que sim! As sociedades de advogados e os advogados em geral constituem um pilar essencial no aconselhamento à atividade corrente das empresas e aos negócios. Atualmente já começa a existir cultura da chamada advocacia preventiva, sobretudo as empresas informam-se e procuram aconselhamento antes de avançarem para uma operação mais relevante ou de maior risco. O advogado já não é encarado como alguém que é consultado apenas quando há um problema.
Pela nossa parte gostamos muito de ser consultados também quando os clientes entendem que há uma oportunidade e nos querem falar de projetos. É muito nesse momento de empreendedorismo que gostamos de estar presentes.

A QUE É QUE SE DEVE ESSA EVOLUÇÃO NA MANEIRA DE VER O PAPEL DO ADVOGADO E AS SOCIEDADES DE ADVOGADOS EM ESPECIAL?
Penso que se deve a vários fatores que passam muito pela evolução da cultura das próprias empresas, da importância que estas passaram a dar aos procedimentos preventivos, à avaliação do risco, à regulação e à conformidade legal da sua atividade. Também contribuiu muito o papel das sociedades de advogados, que numa atitude de permanente informação têm conseguido ir demonstrando a importância de ser feita uma avaliação legal prévia e permanente às operações que as empresas pretendem desenvolver mas também à sua atividade mais corrente.

E COMO VÊ ATUALMENTE O ESTADO DAS SOCIEDADES DE ADVOGADOS EM PORTUGAL?  QUEM COMEÇA HOJE UMA CARREIRA NA ADVOCACIA O QUE VAI ENCONTRAR?
Na verdade são duas perguntas que dariam para uma longa conversa. Começando pela primeira, penso que ninguém duvida que as sociedades de advogados em Portugal atingiram uma sofisticação e qualidade ao nível do melhor que se faz no mundo, mesmo quando nos comparamos com a advocacia anglo-saxónica, que é indiscutivelmente a mais avançada, moderna e inovadora. Temos no nosso país um núcleo muito vasto de sociedades de advogados que modernizaram os seus processos, que têm uma forte cultura de inovação e modernidade, que se informatizaram ao melhor nível, que apostam fortemente na formação dos seus advogados, que cuidam hoje de aspetos como a comunicação, o conhecimento ou a gestão profissional da própria sociedade, a uma escala que está mesmo além do que se assiste em países europeus com os quais Portugal normalmente compete em outros setores da atividade empresarial e económica. E mais importante ainda, vejo que a generalidade das sociedades de advogados portuguesas sabe o que quer e para onde vai, e isso é também muito importante.
Quando uma sociedade faz uma escolha e traça um caminho, à partida abdica de todos os outros. A isso se chama estratégia e o que noto é que a maior parte das sociedades de advogados que melhor conheço revelam ter uma estratégia.
Quanto à segunda pergunta, facilmente se percebe pela resposta à primeira que quem começa hoje uma carreira na advocacia vai encontrar um universo de desafios apaixonantes mas também muito exigentes. Exerço como advogada há quase 20 anos e posso dizer pela minha experiência que actualmente estamos num dos momentos mais decisivos do futuro da advocacia societária em Portugal. Há movimentos de polarização mas em simultâneo de concentração. Veremos para onde se vai tender com maior expressão. Quem começa uma carreira na advocacia societária irá desde logo conviver de perto com esta realidade em evolução. Por outro lado, para além dos tradicionais hard skills, hoje um jovem advogado tem de cuidar de maneira muito ativa dos soft skills, manter uma formação intensa e quase permanente, estar completamente familiarizado com as tecnologias, ter uma sensibilidade forte para a inovação e modernidade, para além de estar preparado para ir enfrentando a evolução que se irá verificar também no modo como os serviços legais serão prestados, de que o recente fenómeno do teletrabalho foi apenas uma pequena abertura para os novos modelos que se poderão seguir no futuro. Ou seja, desafios, exigência, dose relevante de incerteza mas também muitas oportunidades de carreira apaixonante.

A PRESENÇA INTERNACIONAL E O RECONHECIMENTO QUE TÊM POR PARTE DOS VOSSOS CLIENTES CONFIRMAM A QUALIDADE E EXCELÊNCIA DE UM DOS MAIS CONCEITUADOS ESCRITÓRIOS DO PAÍS. O QUE PERMITIU ESTE SUCESSO? DE QUE FORMA OS CLIENTES CONTRIBUÍRAM PARA ESTE ÊXITO?
Trabalho, trabalho e mais trabalho. Inspiração, uma excelente equipa, grande espírito de colaboração e bastante humildade. Entrei para a Raposo Bernardo & Associados em 2003 e este é o resumo dos últimos 17 anos. Naturalmente, é esta a base do nosso sucesso, à qual se junta o reconhecimento extraordinário dos nossos clientes. O contributo dos nossos clientes tem sido decisivo. Numa carteira de clientes em permanente crescimento, mantemos alguns clientes desde que tudo começou, há quase 25 anos. E não estão connosco por tradição, a sua fidelidade é criteriosa e exigente. Tal como a exigência dos novos clientes que surgem todos os dias. Quem está na área da prestação de serviços sabe que hoje se espera sempre mais: temos que ser mais rápidos, quase imediatos na resposta, mais profundos na análise mas mais concisos na resposta, mais focados em isolar o que é importante, mais claros na maneira como nos exprimimos, oferecer soluções, resultados e valor acrescentado. Costumo mesmo dizer um pouco em tom de brincadeira que hoje o expoente está na resposta que chega ao cliente antes da sua pergunta. Mas a verdade é que isso apenas revela proatividade, algo que também consta do rol das exigências comuns na prestação de serviços e na advocacia em particular. Na verdade creio que bastante do sucesso que refere se deve a tudo o que referi e a termos a perceção clara de qual deve ser o nosso papel junto dos nossos clientes.

NA EQUIPA DA RAPOSO BERNARDO & ASSOCIADOS EXERCE FUNÇÕES NO ÂMBITO DAS ÁREAS DE SOCIETÁRIO, M&A, PRIVATE EQUITY E FINANCEIRO. ESTA APETÊNCIA DIRECIONADA PARA UM DIREITO MUITO ESPECIALIZADO É A CHAVE PARA UM ACOMPANHAMENTO INTEGRAL JUNTO DOS VOSSOS CLIENTES?
Sim, sem dúvida. Apesar de tudo estas áreas de especialidade, na advocacia, ainda são relativamente abrangentes. Mas é precisamente o que dizia no início, que sendo uma sociedade full service, que abrange todas as áreas jurídicas relevantes para as empresas, temos também outra matriz paralela que passa pela fortíssima especialização, o que nos permite dar uma resposta em profundidade, em detalhe e em qualidade aos nossos clientes, sem deixar de ter presente uma importante perspetiva de conjunto, o que amplia os benefícios que o nosso aconselhamento proporciona.

QUE PLANOS TEM DELINEADOS PARA CONTINUAR A PROMOVER NÃO APENAS O SEU SUCESSO, MAS DE TODA A EQUIPA E DA PRÓPRIA SOCIEDADE?
O sucesso numa sociedade de advogados, tal como numa organização em geral, não depende apenas do trabalho e dedicação individuais. Depende fundamentalmente do esforço coletivo da equipa. Normalmente, é assim que penso e atuo quando coordeno as
minhas equipas: trabalhar em conjunto num projeto comum. Mas para existir sucesso, tem de haver empenho, vontade, brio profissional, proatividade e querer ir mais além. Um pouco como já falámos anteriormente. E nem sempre é fácil encontrar essas características reunidas em cada pessoa. No entanto, é possível trabalhar-se vários aspetos da nossa atuação enquanto profissionais, se tivermos acesso às ferramentas certas. É aqui que entro com a ajuda da sociedade. O mentoring, o coaching e a formação são, a esse nível, ferramentas cruciais no desenvolvimento profissional. E, nessa medida, procuro fomentar e mobilizar as pessoas para esse contexto de crescimento profissional sem nunca descurar a vertente coletiva. Porque juntos somos sempre mais fortes. Da minha parte, tento sempre aproveitar a minha experiência neste setor em benefício dos que trabalham comigo, delegando o mais possível, sem deixar de coordenar os projetos em curso. A delegação é extremamente importante, pois só assim é possível crescermos e motivarmos o crescimento nos outros. Procuro quebrar as barreiras dos formalismos próprios desta atividade de maneira a deixar cada membro da
minha equipa confortável na sua posição, que assim sentirá também maior liberdade de pensamento e de estímulo ao debate. Numa sociedade de advogados a troca de ideias sobre os assuntos dos clientes e sobre os temas jurídicos em geral, é extremamente importante, pois surgem sempre diferentes abordagens e por vezes até novas soluções.

COMO IDEALIZA O SEU FUTURO ENQUANTO PROFISSIONAL NA RAPOSO BERNARDO & ASSOCIADOS?
É difícil prever o futuro mas quando nos identificamos tanto com os princípios e a cultura de uma organização dificilmente somos surpreendidos. Temos um lema interno que nos acompanha desde que conheço esta sociedade. Fazemos a advocacia que nos deixa felizes. Temos essa sorte, podemos escolher o nosso trabalho e os nossos clientes. Idealizo o meu futuro a continuar a fazer a advocacia que me tem feito tão feliz. É o mais importante, todos os dias vir feliz para o escritório.

DE QUE MODO A PRESENÇA DE MULHERESNAS SOCIEDADES DE ADVOGADOS PERMITIRÁ UMA EVOLUÇÃO NÃO APENAS LABORAL, MAS TAMBÉM SOCIAL?
A presença das mulheres nas sociedades de advogados tem evoluído bastante e neste momento creio que estamos em maioria, o que aliás não surpreende. No entanto, essa progressão não tem sido acompanhada, do mesmo modo, ao nível de lugares de decisão. Não é uma realidade exclusiva da advocacia, e creio que no nosso setor até não estaremos assim tão mal. Cada vez mais as mulheres assumem posições de topo nas sociedades de advogados e não noto que haja qualquer discriminação ou bloqueio a esse nível. Tenho reservas sobre se a evolução laboral está necessariamente vinculada a uma ascensão social, pois acredito que a ascensão social depende de muitos outros fatores que não se cingem apenas ao da evolução profissional. A ascensão social depende, essencialmente, da atitude que se pretende ter na vida e na comunidade. E essa atitude é um processo lento mas natural. Caminhar, caminhando… Essencialmente encaro a evolução laboral como o reconhecimento de um longo trabalho de grande dedicação e esforço.

ACREDITA ESTAR A CONTRIBUIR PARA ESTE EVOLUIR DE CONSCIÊNCIAS?
Não penso nisso como um propósito específico. Limito-me a fazer o que considero justo e  equilibrado. Na minha vida profissional não privilegio mulheres em relação aos homens nem homens em relação às mulheres; privilegio quem trabalha, se empenha, se dedica e dá o melhor de si. Mas se me pergunta se sinto orgulho e gosto em saber que cada vez mais as minhas colegas advogadas ascendem a posições relevantes e de decisão nas sociedades de advogados e nas empresas em geral onde trabalham, claro que sim, é mesmo um grande gosto ver que as consciências estão em geral muito mais limpas e saudáveis.

A LIDERANÇA FEMININA NO DIREITO É JÁ UMA REALIDADE OU AINDA HÁ UM LONGO PERCURSO NO SENTIDO DE CRIAR IGUALDADE DE GÉNEROS E CONSCIENCIALIZAR TODA UMA SOCIEDADE?
Acredito que estamos no caminho certo para que a sociedade encare, com maior naturalidade e consideração, a liderança das mulheres nas profissões jurídicas em geral. A contextualização global da intervenção das mulheres a nível mundial tem contribuído para a criação de maior igualdade de géneros que deverá sempre vingar com base na meritocracia e justiça.

 

Artigo anteriorLIDERANÇA FEMININA
COMPARTILHAR