VERA GRILO, DIRETORA DE MARKETING & VENDAS DA MEDINFAR CONSUMER HEALTH & DERMATOLOGIA

Vera Grilo, Diretora de Marketing & Vendas da Medinfar Consumer Health & Dermatologia
  1. Quais são as características indispensáveis a uma boa marketeer?

Em primeiro lugar gostava de agradecer a oportunidade e privilégio de partilhar algumas ideias, e de poder pertencer a este painel de Mulheres que partilhando um pouco da sua experiência procuram, também, inspirar outras. Acredito que não existe uma fórmula perfeitamente definida para ser uma boa marketeer. No entanto enquanto marketeer assumo o consumidor, o seu contexto e o ambiente que o envolve como o núcleo central do nosso trabalho.  Assim a maior característica que podemos desenvolver é estar 100% conectadas com o que está a acontecer na vida dos nossos consumidores: BE CONNECTED! Assim, estar atenta, ser curiosa, gostar de uma aprendizagem continua (que não se esgota, porque o consumidor está em constante evolução) são características importantes para ser uma boa marketeer. Não obstante, capacidade de análise e organização, que são sem dúvida características facilitadoras.

2. O que é que precisa de mudar para que uma mulher em posição de destaque deixe de ser notícia?

A sociedade, nos seus diversos contextos profissionais e pessoais, precisa de continuar a evoluir no sentido da diversidade e em particular da igualdade de géneros. O caminho está a começar a ser construído, ainda com grandes disparidades worldwide, e bastante no início, pois os temas de fundo, estão assentes numa cultura, com raízes muito capilares. Assim, acredito que este processo de mudança começa sobretudo em casa, na educação que damos aos nossos filhos. Felizmente observamos um número crescente de posições de destaque para as mulheres em diversas áreas, desde a política, à ciência, passando por muitas outras. A mudança está a acontecer.

3. Diriam que um homem, para chegar onde vocês se encontram hoje, teria de fazer os mesmos sacrifícios?

Depende, do contexto e do ambiente. Globalmente diria que não. A minha experiência pessoal é diferente. Felizmente tenho tido oportunidade de passar por ambientes profissionais, onde a meritocracia se sobrepõe as estas questões. E por isso as funções que tenho desempenhado ao longo da minha carreira, foram desempenhadas quer por colegas homens, quer por mulheres, independentemente do género, quem faria mais fit com a posição, e o que faria mais sentido para o seu desenvolvimento.

4. Numa sociedade onde os homens ocupam a maior parte dos cargos de destaque, uma mulher líder sente mais pressão em fazer um bom trabalho?

A mulher tende naturalmente a sentir mais pressão, é da sua natureza 😊. A minha experiência, felizmente, até ao dia de hoje não foi esta. Nunca me preocupei em fazer um melhor trabalho que um colega homem. Porque de facto, tive o privilégio de estar em organizações que valorizam o trabalho, a atitude e o perfil independentemente do género, é o mérito que é valorizado. Acredito que esta realidade ainda não seja transversal, daí a importância de continuar a fazer este caminho de construção e evolução.

5. Que conselho dariam a uma mulher em início de carreira, com o desejo de alcançar uma posição de destaque na área do marketing?

Nem sempre este desejo está identificado desde o início de uma carreira, sendo assim, numa fase inicial acredito devemos ter open mind, disponibilidade e abertura para agarrar diferentes oportunidades e desafios.

A partir do momento em que esta ambição está bem definida, então o conselho passa a ser: 100% foco no objetivo! Mas, desenvolver ao mesmo tempo a capacidade de medir | avaliar até que ponto o caminho até “aquela posição de destaque” nos realiza.

Vais fazer a diferença se estiveres “naquela posição” e estiveres feliz!